EFEITOS NOCIVOS DAS PUNIÇÕES

Existem situações, especialmente no que concerne a segurança do nosso cão, que uma punição é necessária. Por exemplo, se ele apanhar uma porcaria do chão, não a largar imediatamente e tiver de levar uma palmada para largar a porcaria, que seja. É uma questão de escolhermos o mal menor!

Mas as punições, mesmo quando absolutamente necessárias, têm efeitos nocivos e é por isso que não devem ser utilizadas como forma de educarmos o nosso patudo. Neste artigo vamos falar de 2 desses efeitos, mas existem muitos mais.

Contra- controlo

O contra controlo implica o cão enganar ou agredir o seu agressor para recuperar a sua liberdade de ação. Isto acontece porque a palmada que damos ao nosso cão o inibe no imediato, mas não lhe tira a vontade a longo prazo de repetir o comportamento.

Quando um cão leva uma palmada no focinho por não parar de ladrar, como é que nos engana? Fugindo para fora do nosso alcance para continuar a ladrar. Sempre que vamos atrás dele, ele afasta-se mais um pouco.

Quando um cão nos agride por o ameaçarmos (agredir o agressor) está não só a defender-se como também a tentar recuperar a sua liberdade de ação. Continuando com o exemplo de levar uma palmada no focinho por não parar de ladrar, morde para travar a agressão e continuar a ladrar.

Supressão global do comportamento

Relacionada com a inibição não só do comportamento pelo qual o patudo é punido, mas também com a inibição de outros comportamentos que ele possa ter em simultâneo ou próximos uns dos outros.

Por exemplo, o nosso patudo investe para outros cães, gosta de farejar durante o passeio e também gosta de marcar território. Leva um esticão na trela e ouve um berro por investir para outro cão. Durante o resto do passeio não investe para mais nenhum cão, mas também não fareja nem marca território. Ocorre uma inibição do comportamento problemático (a investida), mas também de outros comportamentos naturais e que não são problemáticos.

A supressão global do comportamento pode levar o nosso cão a inibir uma série de comportamentos em vez de inibir só aquele que queremos que ele deixe de ter.
As punições podem parecer surtir efeito imediato, mas a longo prazo e como forma de ensinarmos os nossos cães, não funcionam!